A SEMENTE E A VIDA!.... V DOMINGO DA QUARESMA
Data: 17/03/2018

A SEMENTE E A VIDA!....
V DOMINGO DA QUARESMA
Diz-nos um relatório sobre a felicidade, divulgado esta semana, que é mais feliz quem se entrega por uma causa do que quem só olha para si. Talvez por causa das raízes familiares na agricultura, no norte da Ilha, delicio-me com o encanto de quem semeia e aguarda pacientemente que as sementes morram para darem vida. Sempre ouvi dizer que "o semeador que não larga da mão não junta do chão". Ensinavam-nos, em pequeninos, a virtude e a alegria da disponibilidade e da doação, ao olharmos para os semeadores e para as sementes, pois estas, quando desapareciam no seio da terra é que produziam novos frutos. Talvez também sou contagiado com a impaciência dos nossos dias que só pensa ansiosamente nos frutos. Esperar? Parece uma perda de tempo. O que vale é o imediato, a rapidez, a alta velocidade. Meçam a capacidade de espera das crianças! A maioria dos nossos gestos são sementes. Não produzem no imediato. Levam consigo a dor de uma perda, o desprendimento, a pequena alegria da gratuidade. Ninguém nasce sem trazê-las consigo. Vale mais a pena olhar para o que podemos dar, do que esperar o que gostaríamos de receber. Só é pobre quem se agarra ao que julga ser unicamente para si. Talvez isso explique a espantosa alegria de quem tem poucas coisas. Mafalda Veiga diz com particular beleza e poesia, numa das suas primeiras melodias diz: “É preciso morrer e nascer de novo; semear no pó e voltar a colhe.... A vida não é dia «sim», dia «não». É feita em cada entrega alucinada, para receber daquilo que aumenta o coração”.
O dom de si mesmo é uma semente de amor que faz nascer e frutificar o amor. O esforço e a abnegação são ,muitas vezes condições, para avançar. É na cruz que Jesus se dá a ver. Atraindo todos a si. Grão de trigo que se lança à terra infértil dos nossos corações. Para torná-la fecunda e quebrar todas as durezas que impediam o germinar da graça e do amor. Cada um dos seus amigos a dar a vida por amor. Jesus é explicito ao dizer que o egoísta perde-se; pelo contrário, quem dá a vida salva-a. As nossas alegrias nascem da dor, como os sucessos têm o preço das nossas entregas, como os êxitos são feitos de sacrifício, como a paz é tecida de renúncia ao imediatismo! As dificuldades, as provações nunca são um fim em si mesmos. Tudo nasce da entrega, da dedicação! Diz-nos Miguel Torga: a alegria é parida na dor. Do sofrimento sei tudo o que a vida me ensinou! Voltamos a Jesus para com ele redizer: o grão, ao morrer, apodrece, só assim nasce nova vida; se não renunciardes ao vosso egoísmo, se não tomardes a cruz da entrega todos os dias não vivereis.


fechar