A DOENÇA DA GANÂNCIA ! XXV Domingo Comum
Data: 21/09/2019

A DOENÇA DA GANÂNCIA !
XXV Domingo Comum

Jesus quer que sejamos pessoas libertas e salvas! Pregou contra a ganância e a escravidão do ter! È fácil fazer do dinheiro um deus que detém e escraviza! Compreendemos muitas vezes a salvação como uma coisa do além. Uma pessoa avarenta egoísta, presunçosa é uma pessoa agarrada e escrava. Daí a frase do Evangelho: não podeis servir a Deus e ao dinheiro...Reparemos na seguinte história:
O senhor de um castelo deu uma grande festa, para a qual convidou todos os habitantes da aldeia. Mas as pipas do nobre, embora fossem muitas, não chegariam para satisfazer a previsível e grande sede da multidão de convidados. O senhor pediu então um favor a todos os habitantes da aldeia: - meteremos ao centro da praça onde terá lugar o banquete uma imensa pipa. Cada qual trará o vinho que puder, que deitará na pipa. Será cheia com a colaboração de todos e haverá vinho para toda a gente. Um homem da aldeia, antes de partir para o castelo, procurou uma bilha e encheu-a de água, pensando: «um pouco de água na pipa, ninguém dará por ela». Ao chegar o dia da festa, deitou o conteúdo da sua bilha na pipa comum e sentou-se à mesa. Quando os primeiros serventes foram para tirar o vinho, da torneira saía apenas água. Todos tinham pensado da mesma maneira.
Esta história faz-nos reflectir: Todos pensaram da mesma forma. O interesse pessoal e o egoísmo foram colocados acima de tudo. O resultado redundou num desastre, porque faltando o vinho na festa, faltou também a alegria, porque o vinho é símbolo de alegria. Quando colocamos no centro da vida o nosso ego e os bens materiais surge toda a espécie de desgraças: destruição da saúde, falta de tempo para a cultura, para a família, para a oração, para Deus..., destruição da amizade, do são convívio, guerras entre famílias e entre povos, destruição do meio ambiente... Abandono de Deus! Somos escravos do ter! Somos todos convidados a dar o melhor para que a festa da humanidade aconteça de verdade. Que cada um dê o melhor de si, seja em que lugar for, trabalho, família, Igreja...
Na primeira leitura, deste Domingo, o profeta Amós denuncia os comerciantes sem escrúpulos, preocupados em ampliar sempre mais as suas riquezas e que apenas pensam em explorar a miséria e o sofrimento dos pobres. Amós avisa: Deus não está do lado de quem, por causa da obsessão do lucro, escraviza os irmãos. A exploração e a injustiça não passam em claro aos olhos de Deus. O Evangelho apresenta a parábola do administrador astuto. Nela, Jesus oferece aos discípulos o exemplo de um homem que percebeu como os bens deste mundo eram caducos e precários Vale a pena colocar a nossa atenção naquilo que edifica! Jesus avisa os seus discípulos para fazerem o mesmo.
Fazer a triagem dos nossos desejos e projetos, aceitar não ter tudo abre-nos aos outros, protege-nos do isolamento e leva-nos a partilhar o que temos. E eis que o nosso coração muda. E não somente o nosso coração, mas também o nosso olhar e o nosso comportamento. Jesus diz-nos claramente a ganância, o fazer do dinheiro um deus, mata-nos. Liberta-te! Só Deus é Deus. Em Jesus encontramos o caminho da nossa salvação!


fechar