APRENDIZES DA ORAÇÃO XVII Domingo Comum
Data: 27/07/2019

APRENDIZES DA ORAÇÃO
XVII Domingo Comum

No Evangelho de Domingo, Jesus reza e ensina-nos a rezar. Quer falar-nos de Deus, de seu Pai, e de como Ele está connosco, quando batemos à porta trancada! À luz do Evangelho, permitam-me as seguintes sugestões, para uma melhor e mais proveitosa oração:
1. Coloca-te sempre numa atitude de louvor e de espanto! Mas, não tenhas medo, nem vergonha de pedir ou de suplicar, na tua oração. Pedir é colocares-te na posição correcta, diante de Deus!
2. Não rezarás nem pedirás seja o que for a Deus, com o medo infantil de um estranho que se dirige a um outro Ser ainda mais estranho. «A Oração é afinal um tratado de amizade, com Aquele que sabemos que nos ama»!(S.Teresa de Ávila)!
3. Não rezes, apresentando a Deus, com arrogância, os teus pedidos, como se tivesses de instruir a sua ignorância, explicando-lhe, tudo quando, quanto, como e o que deve fazer! “Quanto menos palavras, mais perfeita é a oração” (Lutero)!
4. Não reduzirás a tua oração e os teus pedidos a Deus, a momentos aflitivos de urgência ou de emergência, mas acordarás tu para Deus, que te está presente no quotidiano da tua vida, sempre e em toda a parte!
5. Não desconfiarás nunca do interesse de Deus por ti. Deus quer escutar-te e não deseja senão escutar-te. Não tentes forçá-lo a ouvir-te. Não queiras tê-lo à mão. Ele leva-te sempre mais além de Ti. A Oração é como um raio laser, que concentra a mente e dilata a alma! Se Deus te demora a responder, é para que a tua alma se dilate, para receberes tudo o que Ele tem para te dar, oportunamente.
6. Não digas nunca que Deus não te ouve, que não atende o teu pedido. “O que se passa é que Ele te lança o desafio, de viveres agora a vida, de modo diferente”. (J. Chittister). No seu silêncio, Deus dir-te-á: «continua o caminho, as dificuldades são as mesmas. Mas agora irás enfrentá-las, com a minha força».
7. De Deus, espera apenas Deus! Deseja a Deus, sobre todas as coisas, mais do que todas as coisas! Olha que “se vertem mais lágrimas, pelas preces atendidas, do que pelas preces não correspondidas” (Santa Teresa de Àvila).
8. Não julgues saber com clareza o que pedir, na oração! Pede, em primeiro lugar, o Espírito Santo, o dom de Deus, essa pessoal e divina prenda, que ultrapassa todas as coisas boas, que possas pedir ou imaginar.
9. Quem a Deus tem, nada lhe falta! Nestes dias, faz da tua oração «a chave da manhã e o ferrolho da noite» (Gandi)! Mantém-te desperto, que «a oração é realmente uma história de amigos que se ajudam e se querem bem» (cf. A. Maillot)!


fechar