OS ESFORÇOS DO CAMINHO XII Domingo Comum
Data: 22/06/2019

OS ESFORÇOS DO CAMINHO
XII Domingo Comum

HISTÓRIA ..

Há uma lenda que diz que, no cimo de uma alta mon¬tanha, havia uma Macieira Encantada que dava maçãs de ouro. Para colher as maçãs era preciso superar todos os obstáculos que aparecessem no caminho. Nunca ninguém havia conseguido tal façanha. O Rei desse reino prometeu um grande prémio a quem conseguisse trazer essas maçãs, Três corajosos cavaleiros dispuseram-se a essa aventura tão difícil. Seguiriam por três caminhos diferentes.
O primeiro caminho era rápido e fácil, sem qualquer difi¬culdade; o segundo caminho era rápido, mas não tão fácil como o primeiro, pois havia alguns obstáculos a enfrentar; o terceiro caminho era longo e difícil, cheio de obstáculos. Foi efetuado um sorteio para ver quem escolheria em primeiro lugar um desses itinerários. O primeiro sorteado escolheu, naturalmente, o primeiro caminho. O segundo sorteado escolheu o segundo caminho. O terceiro sorteado, sem nenhuma outra opção, aceitou o terceiro caminho. Partiram à mesma hora, levando consigo um al¬forge com alguns alimentos, agasalhos e ferramentas.
O primeiro, com muita facilidade, chegou rapidamente à montanha e lá subiu todo contente, pensando que seria o vencedor. O que ele não esperava, porém, é que ela fosse tão inatingível. O tronco e os galhos eram muito altos... Não sabia como subir. Resol¬veu esperar que chegasse o segundo para resolverem juntos o problema.
O segundo enfrentou a primeira dificuldade com que se deparou; porém, logo em seguida apareceu outra, e logo de¬pois mais uma e mais outra, sendo algumas delas bem difíceis. Cansado e esgotado, caiu prostrado por terra. Quando se deu conta do seu estado físico, foi obrigado a retroceder e voltou para o reino.
O terceiro teve o seu primeiro teste quando acabou a sua água. Resolveu procurar um poço mas, quando puxou o balde, a corda rebentou. Então, rapidamente, com suas ferramentas e alguns galhos, improvisou uma escada para des¬cer até ao fundo do poço e retirar a água para saciar a sua sede. Saciada a sede, levou consigo a escada bem como a corda. Logo então percebeu que a aventura come¬çava a ser muito entusiasmante! Depois de descansar, continuou a viagem. Agora, tinha que atravessar um rio com uma corrente fortíssima. E assim, sucessivamente, a cada novo obstáculo que sur¬gia, calmamente ia fazendo uso de tudo o que aprendeu na viagem e do material de que dispunha. Deparou-se com a linda macieira alta e bela e quase inatingível. Então, transformou a jangada numa grande cesta para guardar as maçãs, subiu à árvore pela escada, usou o bambu para apanhar as maçãs mais altas e mais distantes. Depois de encher a cesta com as maçãs, ficou muito sa¬tisfeito por ter conseguido atingir o seu objetivo.

Jesus, no Evangelho deste domingo, dirige-nos palavras fortes: «Se alguém quiser vir comigo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz todos os dias e siga-Me. Seguir a Cruz é renunciar ao egoísmo, ao facilitismo, ao consumismo, ao imediatismo e à ditadura do “apetece” e do “eu sinto” ou “eu não sinto”, O esforço da cruz de Jesus é condição para crescermos no amor! Não há crescimento, seja, ele qual for, sem esforço, sem entrega, sem amor. "A Alegria brota da dor". Este é sentido da Cruz de Jesus….Do renunciar a si mesmo, de que vida de João Baptista é uma marca!


fechar