RESSUSCITAR: ALARGAR HORIZONTES.
Data: 20/04/2019

RESSUSCITAR: ALARGAR HORIZONTES.

Há quem diga que, no confronto com os dramas da vida, existem três momentos ou três dias: Um "primeiro dia", ou primeiro momento, é o choque: Perdemos! Morreu! Está doente! Um "segundo dia" é o tempo de interiorizar, confrontar, "dar voltas no seu coração" . E, agora? Porquê? Para quê? É o dia do silêncio, da pergunta lancinante. Até chegar o "terceiro dia" em que já se começa a fazer luz e a ver as coisas de outro modo, vendo melhor a realidade com que se há-de viver. A Vida recomeça, renova-se; é a Ressurreição! Ela alarga a alma, faz bater, de novo, o coração!
- Agora, pega num punhado de sal e acompanha-me. Saíram de casa e caminharam em silêncio, durante algum tempo. Quando chegaram à beira de um lago de águas transparentes, o mestre ordenou:
Um mestre de filosofia conversava com um dos seus discípulos sobre a felicidade e o sofrimento humano. O jovem andava triste e queria saber como poderia ser mais feliz. Num determinado momento da conversa, o mestre conduziu o discípulo até à sua cozinha, mostrou-lhe onde guardava os temperos e pediu-lhe:
- Coloca uma colher de sal num copo com água e bebe. O discípulo hesitou, mas fez o que lhe foi pedido.
-Qual é o sabor?
- Muito salgado!
- Agora, pega num punhado de sal e acompanha-me. Saíram de casa e caminharam em silêncio, durante algum tempo. Quando chegaram à beira de um lago de águas transparentes, o mestre ordenou:
- Atira o sal para o lago e, depois, prova essa água. O discípulo obedeceu.
- Qual é o sabor?
- Agradável. Mas o que tem isto a ver com o sofrimento humano? - perguntou o discípulo.
Ao que o mestre respondeu:
- Tal como o sabor do sal depende da quantidade da água onde se dissolve, assim a amargura do sofrimento depende da grandeza da alma de quem o acolhe. E Este continuou: Alarga a tua alma. Vê mais longe. Tenta ressuscitar a cada momento

Quando partilhei a esperança com os que sofriam o abandono e a solidão e experimentavam na carne e na vida a agressão à sua dignidade de pessoas e de filhos de Deus;
quando dei pão aos que tinham fome, agasalho a quem tinha frio e carinho a quem andava perdido;
quando ajudei a sorrir, despertei nova vontade de viver e de caminhar;
quando parei junto a um pobre no caminho, porventura sujo, ébrio e repelente, lhe estendi a mão, sorri e falei com ele;
quando me insurgi contra a manipulação e o roubo dos indefesos ou sem capacidade de protesto e de defesa,;
quando fiz crescer uma flor, aconcheguei uma gota de água a uma planta com sede;
quando proporcionei ambiente de paz, concórdia, amizade e estímulo no seio da família;
quando participei e gerei vida nova na comunidade cristã; quando perdoe;
quando fiz levantar todas as pedras dos sepulcros que pesavam sobre a vida dos irmão;
quando me comprometo com o bem comum e sujo as mãos pela justiça, pela solidariedade e pelo bem de todos;
quando sou uma pessoa liberta e ressuscitada e faço feliz a vida do irmão;....
então construí Páscoa. É a Pascoa e a Ressurreição de Cristo a acontecer no hoje da Vida...
Quando alargo a minha alma, quando abro horizontes de esperança e de alegria na minha alma e na alma dos meus irmãos e no nosso mundo, é a Páscoa a acontecer!


fechar