X DOMINGO COMUM A BELEZA DOS DIAS. O dia da dança!
Data: 02/06/2018

IX DOMINGO COMUM

A BELEZA DOS DIAS.
O dia da dança!



É importante valorizar e de certo modo santificar o trabalho, o empenho, a dedicação. Igualmente necessário ter tempos e momentos sagrados: Dias ou horas. A liturgia do 9.º Domingo do Tempo Comum convida-nos a refletir sobre a celebração do Dia do Senhor, sábado para os judeus, domingo para os cristãos, fazendo memória da ação criadora e redentora de Deus para com o seu Povo e memória da ressurreição
Isto porque a pessoa tem absoluta necessidade para se sentir ela mesma e feliz:
a) A necessidade de dar beleza especial aos dias. É para isto que servem os ritos.“Que é um rito?” perguntava o Pequeno Príncipe à raposa que o havia cativado, no famoso livro de A. de Saint Exupéry. E respondia:”é uma coisa muito esquecida; é o que faz uns dias diferentes dos outros dias, uma hora diferente das outras. Há um rito entre meus caçadores. Às quintas-feiras eles dançam com as meninas da vila. Então na quinta é um dia maravihoso”. O domingo é o dia da dança da alma. É o dia que torna os outros dias mais belos e mais felizes....É no domingo que se celebra o grande acontecimento de salvação. Não deixe de participar neste bela celebração dominical: a Eucaristia!
b) A Necessidade do encontro. Todos somos pessoas de relação, de comunhão. O isolamento só destrói! À mesa, as pessoas sentam-se e convivem. Comem, bebem, mas também falam e dialogam A missa é o banquete do encontro. Rezar juntos é necessário...
c) A necessidade de acção de graças. Agradecer amplia o coração, dá-nos uma perspectiva positiva e gratificante da vida. Na missa, agradecemos a Deus, a Jesus, à vida. Não há pessoa mais azeda que a pessoa ingrata! A gratidão alegra a vida!
d) A Necessidade de festejar. Os grandes acontecimentos devem ser celebrados e festejados. Isso mantém a alma viva! Na festa, o ser se recria...
e) A necessidade de alimentar e manter viva a amizade com Jesus . Nós mantemos a nossa amizade com Jesus, a aliança com Ele, «estando à sua mesa», vivendo dEle. Na missa dominical, Jesus transmite-nos o seu carácter, o seu ser, pelo Pão e Palavra
f) A necessidade de alimentar a esperança, a justiça, o amor, a fé, o sentido da vida..
O Poeta Rilke que diz: "Espero pelo DOMINGO como quem espera por uma outra vida". Por isso é tão decisivo que os dias de descanso, tempo aberto às múltiplas errâncias, não se tornem um período errático e vago, um tempo de plástico e não se enrede nas derivas consumistas. Mas que o tempo de repouso seja tempo propício à humanização, ao encontro de si mesmo, com o outro, com Deus; e não se perca na fuga a si próprio e no ruído do mundo. Em toda a tradição bíblica o repouso é uma oportunidade privilegiada para mergulhar mais fundo, mais dentro, mais alto. É aceitar o risco de sentir a vida integralmente e de maravilhar-se com ela: na escassez e na plenitude, na imprevisibilidade dolorosa e na sabedoria confiante.
O Domingo foi feito para o ser se humanizar. É o dia da beleza e da dança da alma. São tão necessários estes dias. Eles são também pão e alimento!


fechar