SANTÍSSIMA TRINDADE: O abraço de Deus.
Data: 26/05/2018

SANTÍSSIMA TRINDADE:

O abraço de Deus.


Os cristãos acreditam no mistério da vida e que esse mistério se esclarece à luz do mistério de Deus-Amor, revelado em Jesus Cristo. Acreditam que Deus é trindade; Deus é ao mesmo tempo Pai, Filho e Espírito. A natureza divina de um Deus amor expressa-se na nossa linguagem imperfeita das três pessoas. A fonte do amor que é o Pai; a revelação desse que é o Filho; o motor dessa comunhão que é o Espírito Santo. O amor de Deus não está encerrado; circula e põe-nos em circulação, não tem nada a ver com esse tipo de amor que cessa e paralisa. O amor é uno e diverso, é dar e dar-se, é receber e acolher... Deus é uma relação! São pessoas distintas, mas iguais! Dão-se e recebem-se mutuamente, sem nenhuma delas perder a sua especificidade!
Uma dia da semana passada celebrou-se o dia do abraço. O abraço é expressão de afecto, de proximidade... Neste mistério do amor, contemplamos Deus que nos ama e abraça. O mistério da Santíssima Trindade é o «Mistério do Amor», de atenção carinho. Dum amor que não absorve, nem destrói o outro, mas acolhe-o exactamente na sua diferença. Uma amor que abraça, que respeita, que quer o bem do outro. Eis uma pequenina história, tirada de um filme: O realizador polaco Krzysztof Kieslowski, no primeiro episódio do seu Decálogo : «Não terás outro Deus...», oferece uma das definições de Deus mais emocionantes, mais «estéticas». O pequeno protagonista, Pawel, órfão de mãe e educado sem qualquer referência espiritual pelo pai, engenheiro informático - o seu deus é a ciência . Pawel pergunta à tia: «Como é Deus?» A tia permanece um momento em silêncio, depois, aproxima-se de Pawel, abraça-o, aperta-o contra si e sussurra-lhe: «Pawel, como é que agora te sentes?» «Bem», responde a criança. Em seguida, um silêncio: «Estás a ver, Deus é assim», sugere a tia.
Podemos tirar algumas ilações para uma mística da nossa vida:
1º. Na Trindade, cada uma das pessoas divinas, necessita das outras, para ser ela mesma. Sendo assim, a pessoa humana, se quer crescer à imagem de Deus, lutará contra a presunção de construir sozinha a sua vida, como se quisesse a todo o custo ver-se “livre” dos demais. Devemos a nossa vida, aos nossos pais, aos vossos irmãos, aos nossos colegas e educadores, à escola, à igreja, à sociedade e ao mundo que nos rodeia.
2º Na Trindade, cada pessoa divina é quem é. O Pai é tanto mais Pai, quanto mais faz o «Filho» é Filho. Quer dizer: as pessoas, as comunidades, as famílias, sociedades, as escolas e as instituições só crescem quando cada um aprender a viver com os outros, para os outros, nos outros e graças aos outros!
3º- A unidade na diferença, tem implicações práticas. Só seremos úteis à sociedade, à Igreja, ao mundo, se formos nós próprios, com a nossa originalidade, o nosso carisma, a nossa cabeça e a nossa alma. Cada um só tem aquilo que recebe, como cada um só tem aquilo que dá! A diferença na família, no mundo, nas comunidade é uma riqueza.
O mistério da Santíssima Trindade é o mistério do abraço!


fechar